Conteúdos Endomarketing TV Corporativa/Mural Digital

Tendências para RH no Business Meeting 2018Tempo de Leitura: 8 minutos

share-endomarketing-tendencias-para-rh-no-business-meeting
Escrito por Daniéli Closs

Quando se fala em tendências de RH, o que vem a sua cabeça? Novas tecnologias? Inteligência Artificial? Realidade Virtual?

Todos esses assuntos e outras novidades foram apresentadas no Business Meeting 2018 no dia 10 de outubro em Itajaí.

O evento promovido pelas empresas Ágora Entertraining, Pulses e SG trouxeram o melhor conteúdo dos eventos internacionais e uma amostra das novas tecnologias que já estão sendo usadas por profissionais de RH e líderes nas empresas.

E nós estivemos prestigiando o evento e também contribuindo com nosso conhecimento sobre as novas tecnologias, onde nosso CEO, Igor Gavazzi Vazzoler, falou sobre as vantagens da TV Corporativa para a área de RH e Comunicação Interna.

Durante a manhã tivemos um painel sobre as tendências para RH e na parte da tarde diversas empresas apresentaram suas soluções e compartilharam dicas para melhorar a experiência, o engajamento e o desenvolvimento dos colaboradores. Confira os principais insights que tivemos!

A Tecnologia vai Roubar seu Emprego?

O evento iniciou instigando os participantes a observarem o cenário mundial dos empregos, entendendo a influência da tecnologia nos cargos que existem, estes que podem ser substituídos pela inteligência artificial, por exemplo.

Apesar de sabermos que aos poucos, muitos trabalhos não serão mais realizados por humanos, vale salientar que a tecnologia criou mais empregos do que eliminou nos últimos 144 anos.

Com essa conclusão partimos para o preceito de como a tecnologia, a inteligência artificial e a realidade virtual podem automatizar e auxiliar em nossas funções diárias.

Além disso, percebemos que precisamos desenvolver cada vez mais as habilidades que as máquinas não são capazes de reproduzir, como por exemplo, a empatia e a comunicação, o pensamento crítico e a criatividade, o pensamento estratégico, a imaginação e a visão de futuro.

Ao analisar estas características chegamos ao próximo aprendizado do evento, que foi a importância de promover o desenvolvimento destas habilidades nos colaboradores.

Habilidades Humanas

Atualmente, a carreira profissional tem sido vista mais como uma grande jornada de aprendizado do que como algo duradouro, restrito à uma única empresa. Podemos perceber isso principalmente nas novas gerações, onde a bagagem e as experiências vividas são mais importantes do que vários anos em um mesmo local de trabalho.

Isso pode ser percebido também ao observar o mercado de cursos rápidos e online que cresceu consideravelmente nos últimos anos, possibilitando o desenvolvimento de novas competências que agreguem ao currículo.

Entretanto, com o avanço da tecnologia, surge um dado que nos faz prestar a atenção: a vida útil média de um novo conhecimento é de 5 anos. Ou seja, a atualização deve ser constante, mas as habilidades humanas não podem ficar em segundo plano, pois elas que serão os diferenciais de agora em diante.

Habilidades como o pensamento gerencial precisam acompanhar as mudanças tecnológicas e as empresas precisam passar a ser orientadas por ideias, utilizando dados, testando premissas, pedindo feedback e experimentando, sem medo de falhar com resiliência.

Estas são características que precisam ser desenvolvidas, pois a maioria das empresas ainda não as considera estratégicas para o negócio.

Além de habilidades humanas, o bem-estar físico, mental e financeiro dos colaboradores também são importantes. Cada vez mais, o clima organizacional é fator primordial para um talento permanecer em uma empresa.

Portanto, se a tecnologia já está substituindo muitas de nossas funções e otimizando outras, precisamos prestar atenção no bem-estar dos colaboradores e entender quais são as habilidades que precisam de desenvolvimento.

E para identificar o que precisa ser trabalhado temos novamente a tecnologia ao nosso lado, com a coleta de dados e o people analytics, que é o nosso próximo tópico.

People Analytics

People Analytics é o processo de coleta, organização e análise de dados sobre o comportamento dos colaboradores e são utilizados para as tomadas de decisões, tornando possível o aprimoramento de estratégias.

“69% das grandes empresas tem um time de People Analytics. – é a maior tendência entre empresas de grande porte nos EUA.”

Através de dados é possível identificar quais fatores impactam na produtividade das equipes, melhoram o engajamento e facilitam a comunicação, por exemplo.

Além disso, se torna possível acertar no que precisa ser investido em curto prazo e no caso, quais habilidades precisam ser desenvolvidas e qual a melhor forma de trabalhá-las.

Uma das tecnologias mais inovadoras citadas no evento para a coleta de dados é o crachá sociométrico, que coleta durações de conversas do colaborador com outros colegas, a variação do tom de voz, o movimento corporal e a proximidade com outros crachás.

Através dele é possível identificar a afinidade entre pessoas, os colaboradores desengajados, novas equipes com grande potencial para trabalharem juntas e diversos outros insights.

Algumas das descobertas citadas pelos palestrantes, identificadas através do People Analytics, são:

  • A comunicação presencial representa maior produtividade;
  • Muita comunicação por email representa menor produtividade;
  • A coesão do time é muito maior quando a comunicação ocorre pessoalmente;
  • Times mais criativos se movimentam mais e conversam presencialmente;
  • Pessoas com mais relacionamentos entregam tarefas mais rapidamente;
  • Líderes que se comunicam mais, consequentemente, tem equipes que se comunicam mais.

E para o RH estar preparado para trabalhar com dados e possuir um viés mais analítico, algumas novas competências necessárias foram citadas, confira:

  • Pensamento analítico e design thinking;
  • Comunicação eficaz com storytelling;
  • Problem solving;
  • Planejamento estratégico e finanças corporativas;
  • Planejamento e dimensionamento de mão-de-obra;
  • Coleta de dados e construção de relatórios;
  • Estatística aplicada;
  • Business analytic e intelligence.

Experiência de Aprendizagem

“A experiência do seu colaborador é tão (ou mais) importante que a experiência do seu cliente.”

Uma das funções do departamento de Recursos Humanos em uma empresa é promover treinamentos e reciclagem de cursos para os colaboradores, ou seja, desenvolver e capacitar os profissionais.

Considerando todas as mudanças que vêm ocorrendo, tanto relacionadas à tecnologia, como ao perfil e necessidades dos profissionais, o processo de T&D (Talent Development – Desenvolvimento de Talento) deve ser idealizado de outra maneira, agora com foco na experiência do colaborador.

Isso significa que a forma como aprendemos as coisas já não serve mais e que ao invés de conteúdo, vamos utilizar a experiência para aprender. E essa experiência é a soma de todos os pontos de contato que o colaborador tem com a empresa, desde o momento que se torna um candidato até se tornar um ex-colaborador.

“É preciso estar preparado para desenvolver competências essenciais para a revolução digital de modo a gerar impacto positivo no negócio.”

Existem três aspectos que impactam fortemente na experiência do colaborador: a cultura, a tecnologia e o espaço físico. E ela pode ser composta por momentos marcantes criados intencionalmente por um designer de experiências, por exemplo.

Algumas das tendências para promover experiências de aprendizagem nas empresas são:

  • Realidade aumentada;
  • Gamificação;
  • Microlearning;
  • MOOCS: Massive Open Online Course.

Liderança de Valor

O papel do líder nesta transformação e no processo de aprendizagem dos colaboradores é essencial e também foi discutido durante o evento.

O líder impacta diretamente no engajamento e na produtividade das equipes, por isso deve ser incentivado, através de rituais de gestão, a perceber cada colaborador e aprender cada vez mais sobre performance, engajamento e motivação.

A base para habilitar interações, gerar prazer e promover performance nas equipes é a confiança entre líder e liderados. “Quanto maior o nível de confiança, mais pessoas estarão dispostas a correrem riscos pelos seus líderes ou pela sua empresa.” Fonte.

Algumas práticas de gestão que promovem confiança foram citadas pelos palestrantes, baseadas no que diz Paul Zak, segue algumas:

  • Reconheça a excelência;
  • Ofereça um trabalho difícil, mas realizável;
  • Dê às pessoas liberdade para decidir como trabalhar;
  • Possibilite a transformação do trabalho;
  • Compartilhe informações amplamente;
  • Construa relacionamentos;
  • Facilite o crescimento pessoal integral;
  • Mostre vulnerabilidade.

Novas tecnologias para o RH

Após todas as discussões sobre os tópicos que citei, na parte da tarde, diversas empresas apresentaram seus produtos e soluções, juntamente com cases de sucesso de seus clientes, inspirando os participantes.

O público pode conhecer aplicativos para o bem-estar dos colaboradores, plataformas para aprendizagem, coleta de dados e gerenciadores de projeto.

Além deles nosso CEO, Igor Gavazzi Vazzoler, falou sobre a TV Corporativa e apresentou suas vantagens, além de cases e exemplos de aplicação da ferramenta.

Você pode conferir os slides utilizados na apresentação fazendo o download aqui:

progic-endomarketing-cta-post-tendencias-para-rh-no-business-meeting

 

Conclusão

“Nunca foi tão importante repensar o motivo pelo qual trabalhamos e a natureza do próprio trabalho.” – Renato Navas

Além de observar as habilidades que precisam ser desenvolvidas para acompanhar as mudanças no mundo corporativo, precisamos cada vez mais prestar atenção em nosso lado humano e valorizar as características intrínsecas à ele.

Além disso utilizar os dados e a participação dos colaboradores à favor do negócio se torna estratégico, pois com isso teremos profissionais sugerindo melhorias em tempo real, colaboradores criando conteúdos para outros colaboradores e a capacidade de prever comportamentos com base em dados reais.

O RH deve olhar o todo e proporcionar cada vez mais experiências de aprendizagem que transformem a realidade dos colaboradores.

Sobre o autor

Daniéli Closs

Relações Públicas por formação, com experiência em liderança, gestão de pessoas e comunicação interna. Conhecimento avançado em marketing digital, apaixonada pelo que faz e entusiasta da evolução.