Comunicação Interna Conteúdos

Você ouve seus Colaboradores? – 5 aprendizados do 8º Internal Communications SummitTempo de Leitura: 9 minutos

endomarketing-progic-voce-ouve-seus-colaboradores
Escrito por Daniéli Closs

Ouvindo os colaboradores, é assim que você deve comunicar.

Parece confuso, mas o aprendizado que trouxemos da 8ª edição do Internal Communications Summit é exatamente este: que precisamos aprender a ouvir nossos colaboradores para saber qual a melhor forma de se comunicar com eles.

O evento promovido pela Corpbus!ness, aconteceu no dia 21 de junho, em São Paulo, no Matsubara Hotel, e reuniu diversos profissionais que são referências da área de Comunicação, promovendo uma troca de experiência e networking únicos.

Foram 10 painéis, que permearam além da comunicação interna, o engajamento, a transformação cultural e a liderança. Confira os principais aprendizados e insights que tivemos!

1. O Líder é Influenciador

Um dos assuntos mais comentados durante os painéis foi o papel do líder na comunicação com os empregados.

Os colaboradores querem ouvir as informações de seus líderes, acreditam no que seus supervisores falam, principalmente em grandes indústrias. Possuem uma relação de confiança e através deles se certificam se a mensagem que receberam é real.

Apesar disso, na maioria das grandes empresas, o papel do líder, gestor ou supervisor, é realizado por alguém que já esteve na linha de produção e foi promovido até a posição de líder.

Dessa forma, a maioria não possui habilidades de comunicação e por isso se torna difícil manter uma comunicação eficaz entre líderes e liderados.

Para melhorar esse cenário, é preciso antes de tudo reconhecer o líder como influenciador e que o seu papel é fundamental para que a comunicação seja eficaz.

O líder não é um canal, ele é comunicador. – Monica Batsleer

Então, comunica-se para o líder saber, se apropriar da informação e poder repassar aos colaboradores. Mas se os líderes não possuírem habilidades comunicacionais, devemos ensiná-los a se comunicar, engajar e se conectar com os empregados.

A Gerente de Engajamento Comunicação e Responsabilidade Social da Coca Cola Andina, Carolina Loscier, compartilhou que realizou um encontro de engajamento e ensinou aos líderes como engajar.

Com atividades, treinamentos e ensinamentos simples, diretos e práticos, garantiu o entendimento do engajamento e promoveu a conexão entre os participantes, o que repercutiu por toda a empresa, auxiliando na comunicação interna.

Confira a dinâmica que inspirou uma das ações desse encontro clicando aqui.

O líder pode se tornar um grande aliado da comunicação interna, mas para isso, precisamos além de ensinar, aprender com eles, que estão em constante contato com os colaboradores.

2. A Importância da Conexão

Para ganhar a mente do colaborador, precisamos ganhar o coração. – Daniel Costa

O principal recurso de uma organização são as pessoas, e a comunicação acontece entre pessoas. Essa afirmação é óbvia para quem a lê, mas infelizmente faz pouco tempo que as empresas estão se dando conta disso.

Por isso, a conexão virou pauta, para comunicar com pessoas, precisamos nos conectar com elas. E além da comunicação, o engajamento e a produtividade também melhoram.

E essa conexão que fez a diferença durante o gerenciamento de crise da Oi. A Gerente de Comunicação Interna da empresa, Carla Goulart, compartilhou como conseguiram promover o engajamento durante um período em que o sentimento natural dos colaboradores seria a insegurança.

“Não adianta nada fazer uma campanha ou ação se as pessoas não estão conectadas com o seu negócio.” – Carla Goulart

Alguns pontos importantes destacados por ela:

  • O primeiro passo é a transparência, o discurso precisa estar alinhado entre todos. No momento em que o colaborador percebe que a empresa compartilha tudo com ele e o deixa ciente do que está acontecendo, sem esconder nada, o funcionário veste a camisa e passa a fazer parte da luta.
  • Eles precisam estar preparados para responder qualquer questionamento externo que surgir e saber explicar a situação, pois também são reprodutores de informação.
  • O CEO precisa se conectar com os colaboradores, repassar otimismo e determinação, envolver e agradecer a todos pela dedicação com a empresa.  
  • Essa conexão precisa ser reforçada todos os dias e não apenas em momentos de instabilidade.

A comunicação face a face, também muito citada durante as falas das profissionais é o meio essencial para manter a conexão entre as pessoas. Nenhuma ferramenta de comunicação substitui o face a face, o diálogo e a conectividade.

Emoção é o que nos move, então precisamos dela para motivar as pessoas. Essa conexão fará com que o colaborador se sinta parte da empresa, compartilhe o propósito e os valores da organização e os viva no dia a dia.

As pessoas estão na sua empresa porque querem estar, no momento que não fizer mais sentido para elas, elas vão procurar outro lugar que faça. Portanto, se conecte com o funcionário através de ações, dinâmicas e hábitos e faça a empresa se tornar sua motivação diária.

3. O Colaborador visto como Consumidor

Quando se fala em visualizar o colaborador como consumidor, não se trata apenas de imaginá-lo no lugar do cliente, mas de fato colocá-lo nesse papel.

O funcionário precisa entender onde queremos chegar e porquê, acreditar no produto ou serviço que a empresa oferece e dessa forma ele perceberá a importância do seu próprio trabalho.

Essa temática foi comentada em quase todos os painéis, com exemplos práticos de como isso ocorre, por exemplo, na Saint-Gobain, onde os colaboradores participam de workshops e aprendem a utilizar o produto final que vai para os clientes.

Quando o produto ou serviço fornecido pela organização não é específico para o consumidor final, ou seja, normalmente não é adquirido por pessoas e sim por empresas, é importante que essas atividades sejam feitas dentro da organização.

Vivendo essa experiência, o colaborador vai perceber a importância dos detalhes e se sentir motivado a realizar um trabalho de qualidade, pois pensará no cliente quando fizer seu trabalho.

4. O Colaborador como Agente Comunicador

A comunicação está deixando de ser para pessoas para ser entre pessoas. – Daniel Costa

Para entender as mudanças da comunicação interna, basta observar o nosso dia a dia, a forma que nos comunicamos fora das empresas está influenciando como vamos nos comunicar dentro dela.

O interno e o externo se fundiram e, mais do que nunca, todos são produtores de conteúdo. Queremos ser vistos, dar nossa opinião e fornecer informação.

E dentro da organização o colaborador quer diálogo, tanto com seus colegas como com o CEO da empresa. Portanto, precisamos promover a comunicação dessa forma.

Mas como fazer isso?

Na Duratex, existe o repórter por um dia, o que possibilita que os próprios empregados sejam os comunicadores. Dessa forma, eles também podem se ver nos canais de comunicação e propagar as informações.

Outra forma de incluir os colaboradores no processo, é possuindo um disseminador de conteúdo por filial, setor ou região.

Esses profissionais podem não ser especialistas de comunicação e por isso é importante realizar treinamentos e ensinar boas práticas de comunicação. Repassar a política da empresa e o cuidado com o formato e a linguagem das mensagens.

Quando divulgamos algo externamente, saber que o colaborador está no digital, por exemplo, não garante que ele verá essa informação, por isso é tão importante incluí-lo nesse processo, deixando que ele realmente participe da conversa também como um agente comunicador.

5. Antes de tudo, ouça o Colaborador

Para trabalhar com todos os tópicos citados, é preciso antes de tudo, ouvir o colaborador, para entender a melhor forma de aplicar essas ações.

Este foi o ponto em comum entre todos os painéis do evento e foi comentado por todas as profissionais. Antes de adotar qualquer canal de comunicação, ou realizar alguma campanha, é preciso ouvir.

Como profissionais de comunicação, muitas vezes, temos o pensamento de que sabemos o que é o melhor para a comunicação da empresa, mas não saberemos se não perguntarmos diretamente para quem ela é importante.

Por exemplo, em uma empresa em que 65% dos colaboradores não têm o 2º grau completo, é necessário identificar a linguagem e o canal que estas pessoas estão adaptadas a utilizar e sempre questionar em qual sentido o processo pode ser melhorado.

Por isso, ouça os funcionários, observe seus hábitos, costumes e como se comunicam no dia a dia, quais ferramentas já utilizam para realizar suas tarefas.

E, sempre que possível, realize pesquisas, tanto para entender o empregado como para avaliar as ações e meios de comunicação utilizados.

Foi dessa forma, observando os empregados que, a Gerente Sênior de Comunicação, Cultura e Responsabilidade Social da Azul Linhas Aéreas, Carolina Constantino, identificou que a ação natural da maioria era utilizar o celular e, por isso, investiram em um aplicativo.

O aplicativo Minha Azul se tornou um sucesso para a comunicação interna. Você pode saber mais sobre, assistindo nossa entrevista com ela:

Conclusão

Ouvir e entender o que o colaborador espera antes de investir em qualquer canal de comunicação é tão importante quanto a implementação de uma nova ferramenta.

Existem diversos meios de comunicação interna disponíveis atualmente e a tecnologia vem facilitando ainda mais a possibilidade de inovar. Mas de nada adianta investir em algo que não terá adesão.

É possível inovar realizando pequenas ações e ter a grande maioria dos colaboradores satisfeita com a comunicação – Mirella Marchi Gerente de Comunicação e Relacionamento da Nissin

Precisamos, sim, levar em consideração o cenário atual que estamos vivendo, mas quando se trata de comunicação, antes de tudo, é preciso olhar para o colaborador, se conectar com ele e entender o que ele precisa.

Pois a comunicação interna existe para melhorar o clima, engajar pessoas, facilitar e agilizar tarefas e comunicar de forma ampla e para todas as direções da hierarquia, tudo o que envolve uma organização.


Confira também as fotos oficiais do evento:

IC Summit 2018

icsummit3-foto-andrea-naomi
icsummit0-foto-andrea-naomi
icsummit4-foto-andrea-naomi
icsummit01-foto-andrea-naomi
icsummit1-foto-andrea-naomi
icsummit2-foto-andrea-naomi
icsummit10-foto-andrea-naomi
icsummit5-foto-andrea-naomi

Fotografia: Andrea Naomi

 

Sobre o autor

Daniéli Closs

Relações Públicas por formação, com experiência em liderança, gestão de pessoas e comunicação interna. Conhecimento avançado em marketing digital, apaixonada pelo que faz e entusiasta da evolução.