Conteúdos

Cultura Organizacional – Você Sabe do que Ela é Capaz?Tempo de Leitura: 9 minutos

cultura organizacional
Escrito por Daniéli Closs

Está sem tempo para ler ou prefere ouvir o artigo? Experimento o player abaixo:


Seu jeito de ser e no que você acredita estão conectados com a empresa que você trabalha?

Como profissional de Recursos Humanos, você percebe que a rotatividade de colaboradores na empresa em que trabalha está aumentando?

Isto pode ser um indício de que a cultura organizacional precisa ser retrabalhada.

Neste post vamos falar um pouco sobre o que é Cultura Organizacional, explicar porquê precisamos nos preocupar com ela e também mostrar o que precisa ser analisado na hora de mapear e melhorar esse importante aspecto das empresas.

Entendendo a Cultura Organizacional

A cultura se refere ao que um grupo de pessoas compartilha e esses fatores se manifestam na linguagem, nas roupas, na rotina e nas ações. Todos os dias reforçamos a nossa cultura, através do que vestimos, na maneira que falamos e na forma que agimos.

Nossa cultura é moldada pela nossa história, costumes, sotaques e tudo que aprendemos ao longo da vida, principalmente os valores que nos são repassados.

o que é cultura organizacional

A sócia-diretora da Nex-us Consultoria, Patrícia Tavares, compara a cultura com as camadas de uma cebola. Na primeira camada temos o que é mais visível, que pode ser imitado, como por exemplo o sotaque. Os valores e crenças estão mais próximos do centro e quanto mais próximo do centro, mais difícil será mudá-los.

Da mesma forma, a cultura organizacional possui camadas, e os valores e crenças estão incorporados dentro dela, em suas estratégias, hábitos, rotina e maneira de trabalhar. Por isso é tão difícil transformá-la quando necessário.

Em uma organização, a cultura é moldada inicialmente pelos valores do fundador, que guia as ações através de seus princípios e crenças.

Além disso, ela também é formada no dia a dia através do que a empresa e todas as pessoas envolvidas em seus processos compartilham, principalmente aspectos interligados aos demais líderes.

O conceito de cultura organizacional pode ser interpretado como a essência da empresa, expressada pela maneira como ela faz seus negócios, trata seus clientes e funcionários, ou seja, os princípios que exprimem a identidade da organização.

A cultura é o lado humano da empresa e seu significado muitas vezes não é considerado tão importante quanto deveria.

“Se você não desenvolver a cultura de sua organização, ela se desenvolverá sozinha… e se isto acontecer, você estará assumindo um risco.” – Monique Winston

Por que me Preocupar com a Cultura Organizacional?

A cultura empresarial influencia em diversos fatores determinantes dentro de uma empresa.

Ela orienta as pessoas e as equipes sobre quais caminhos devem ser tomados para alcançar os resultados e como elas devem se comportar nesse processo. Além disso, define limites para os colaboradores e auxilia na coerência entre seus atos e os valores da empresa.

Se preocupar em construir a cultura organizacional é uma maneira de garantir que todos os colaboradores estarão em sintonia entre si.

Porém, muitos pensam que o colaborador precisa se adaptar à cultura da empresa e mudar seus hábitos e valores para se adequar aos da organização, mas isso não é tão simples.

Lembramos agora do exemplo da cebola, onde os valores estão nas camadas mais profundas e por isso, são difíceis de mudar. O ideal é considerar a cultura como um dos requisitos no momento da contratação.

Contratar pessoas que compartilham de valores semelhantes aos da organização, trará muitos benefícios e tornará o ambiente de trabalho muito mais harmonioso e produtivo. Quando todos estão imersos no mesmo interesse que a empresa, a cultura se propaga facilmente.

Mas é claro que não é tão simples encontrar pessoas com valores semelhantes aos nossos, por isso é importante lembrar que as pessoas são capazes de mudar, assim como a empresa, mas que ninguém gosta da mudança se é forçado a ela e não entende porque ela é necessária.

O mais importante é que todos acreditem no que estão fazendo e acreditem no propósito da empresa, dessa forma, a cultura levará a empresa ao sucesso.

Além de possuir uma cultura bem definida, é importante que ela seja expandida aos colaboradores, pois de nada serve o gestor tê-la em mente ou apenas no papel. Por isso a importância de comunicar, reforçando-a sempre que possível.

Análises organizacionais realizadas atualmente, demonstram que um dos fatores determinantes de desempenho é a capacidade de alinhamento interno de uma organização. Por isso, garantir que as pessoas compartilhem dos mesmos valores, tem se tornado uma das principais preocupações dos gestores.

Como Mapear a Cultura Organizacional?

como mapear a cultura organizacional

Toda e qualquer organização já possui sua cultura, baseada nos valores que foram construídos ao longo do tempo. Entretanto, algumas empresas não tem ela documentada e definida, para utilizar como norteadora dos processos de seleção, treinamento e estratégias.

Para mapear qual é o tipo de cultura organizacional na empresa em que você trabalha, é importante realizar um diagnóstico cultural, analisando diversos pontos para então concluir os fatores predominantes e que determinaram a cultura da organização.

Analisar as características da empresa pode ser o ponto inicial do estudo. Como fatores externos, busque entender qual a postura da empresa diante do mercado, como ela se posiciona perante consumidores e fornecedores.

Internamente, analise as características e competências dos colaboradores, o modo de pensar predominante e observe o nível de cooperação. Até mesmo a distribuição do espaço físico pode dizer se a empresa espera que os colaboradores cooperem uns com os outros ou não.

Outros pontos que podem contribuir para delinear a cultura é observar se o ambiente organizacional é competitivo ou não, se há foco nos resultados, se existe um bom relacionamento entre colegas e equipes, observando também se há flexibilidade perante regras.

Após realizar esse mapeamento e identificar a essência da organização, pode ser que você perceba que alguns pontos precisam ser alterados e para que a mudança ocorra de fato, as modificações precisam iniciar com quem assume papéis de liderança.

Os líderes são os principais provocadores da cultura, eles transmitem seus valores aos outros e norteiam os caminhos. Em muitas organizações, a cultura reflete a personalidade dos líderes.

“A cultura de qualquer organização é formada pelo pior comportamento que os líderes estão dispostos a tolerar.” – Gruenter and Whitaker

Quando surgir a necessidade de mudar, é importante também mapear a distância entre o que se tem hoje e onde se quer chegar, buscando compreender se os aspectos que serão alterados ajudarão a alcançar esse objetivo.

E da mesma maneira que os valores precisam ser comunicados a todos constantemente, quando uma mudança de comportamento for definida ela também deve ser informada, explicando porque isso está ocorrendo e o que é esperado das pessoas.

Os principais acontecimentos que levam a uma mudança de cultura são o crescimento acelerado da equipe, fusões com outras empresas ou expansão para filiais. Mas existem outros fatores que podem estar prejudicando o desempenho da empresa e que uma mudança na cultura pode mudar o rumo que ela está tomando.

Uma Empresa que Percebeu a Importância da Mudança Cultural

Um exemplo citado no livro “O Poder do Hábito” de Charles Duhhig, apresenta uma multinacional que estava passando por diferentes desafios e que uma mudança relativamente simples na cultura resolveu os problemas trazendo a empresa de volta ao caminho do sucesso.

Trata-se da Alcoa, uma organização com muitos colaboradores expostos a atividades perigosas e que estavam sofrendo acidentes diariamente. Além disso, estavam investindo em novas linhas de produtos que não estavam dando resultado.

Com isso ocorrendo, os investidores diminuíram suas aplicações e a empresa entrou em um estado crítico.

problemas com a cultura da empresa

Neste momento, outra pessoa assumiu a liderança da empresa e em sua primeira apresentação anunciou que o foco da organização naquele momento havia mudado para aumentar a segurança no trabalho.

Inicialmente, esse discurso causou muito ceticismo entre os investidores, pois eles não acreditavam que focar apenas neste aspecto iria resolver a crise da empresa.

O executivo citou os casos que estavam ocorrendo e alinhou o discurso, colocando na mente de todos esse novo objetivo: ser referência em segurança. Deixou todos cientes do porquê da mudança e colocou como meta o índice zero de acidentes.

Em menos de um ano após às mudanças houve recordes nos lucros da organização. Antes do novo líder se aposentar, o faturamento líquido anual da empresa era cinco vezes maior do que antes de ele fazer parte da empresa.

O executivo sabia que precisava transformar a cultura da multinacional. Sabendo que as pessoas são resistentes à mudanças ele começou por um único fator e essa alteração se alastrou pela empresa, causando novas mudanças de comportamento.

Alguns hábitos, conhecidos como angulares, possuem o poder de iniciar uma reação em cadeia, alterando outros. Foi isso que aconteceu com a mudança que o novo líder incentivou.


Segundo Marco Kissil (1998), para que a organização possa sobreviver e se desenvolver, para que exista revitalização e inovação, deve-se mudar a cultura organizacional.

Além de sofrer mudanças, quando necessário, essa política cultural precisa ser clara e divulgada adequadamente, pois se não, se tornará um obstáculo para o desenvolvimento do negócio.

Criar uma cultura organizacional não é ter cerveja e jogos na empresa, mas sim estruturar processos e norteá-los pelos valores, objetivos e crenças que todos compartilham.

Dar a devida importância à cultura organizacional irá favorecer a longevidade da empresa, pois um produto, uma ideia ou serviço podem ser copiados, mas a essência e a maneira como as pessoas trabalham no dia a dia, não.

“Para as pessoas, caráter é destino. Para as organizações, cultura é destino.” – Tony Hsieh, Delivering Happiness

cultura empresarial saudável

Sobre o autor

Daniéli Closs

Graduada em Comunicação Social, heavy user de redes sociais, sou apaixonada pelo marketing digital, comunicação e pela evolução. A vontade de crescer e aprender para colaborar com o crescimento dos outros é o que move meus dias.

6 Comentários

Deixe uma resposta